sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sem rumo

Depois de ler On the Road, Bob Dylan decidiu sair de casa e viver o mundo. O mundo mostrou-se a ele, assim como se mostra a todos nós todos os dias. Mas não temos a coragem que Kerouac teve de pegar a 66 e desbravar as terras de sua nação. Não temos a coragem de enchergar o mundo que sempre pediu para ser visto... Somos uma geração covarde, começando por mim e por você que está lendo. Provavelmente isso vem do medo de falhar, ou do próprio desleixo que os mais velhos fixaram em nós... Simplesmente estamos repetindo o que Elis Regina disse em sua música "Nossos ídolos ainda são os mesmos / E as aparências não enganam não / Você diz que depois deles Não apareceu mais ninguém / Você pode até dizer que eu tô por fora / Ou então que eu tô inventando(...)".

Ai eu me pergunto... nossa geração, vai ficar com o rabo sentado na cadeira e olhando para um mundo virtual sem aproveitar o que ele nos proporciona? Será que eles realmente venceram? Certo... primeiro, quem são eles? O que queremos? Qual rumo tomar? Minha resposta... não sei. Mas acho que já está na hora de fazer o mesmo que Bob Dylan e Jack Kerouac fez uma vez... pegar a estrada desconhecida e deixar o mundo se mostrar... ai sim... teremos resposta...

Você ja se sentiu só? completamente sem rumo? sem nenhum tipo de direção?

Bob Dylan - Like a Rolling Stone, Blowin ' in the wind
Elis Regina - Como nossos pais (composição de Belchior)

Um filme - No direction Home - Martin Scorcese

2 comentários:

Felipe disse...

Pra ser um andarilho é preciso muito mais estomago do que coragem... é mais fácil ser tomado pela loucura de deixar tudo pra trás e encarar a viagem do que enfrentar o que vem pela frente.

To poeta hoje...

M.R.A disse...

Eh verdade... Mas acho que tbm eh preciso ter coragem pra ter forças e superar o "problema estomacal" que há por vim nessas rotas escolhidas!!!!

Tbm to poeta hj!!!

hehehehe